Report Gartner

Gartner® Market Guide 2023 para plataformas de IT Service Management 

Acesse seu
Portal do cliente agora!

Conecte-se com o
Suporte ao cliente agora!

Blog

Consulte o blog da EasyVista para se manter atualizado sobre as últimas notícias, tendências e melhores práticas em matéria de transformação digital. Deixe que a EasyVista o mantenha atualizado e na vanguarda de uma indústria em constante mudança.

Centro de Recursos

Temos o compromisso de fornecer recursos que o ajudem a atender a todas as suas necessidades de software ITSM.

Webinars e Eventos

Mantenha-se atualizado sobre nossos mais recentes webinars e eventos ITSM, ITOM ou ESM agora

As últimas novidades da EV

Mantenha-se atualizado sobre as últimas notícias e eventos da EasyVista.

EasyVista | 31 Maio 2024

6 Razões Para Não Desconsiderar o Seu TCO de ITSM

Na Gestão de Serviços de Tecnologia da Informação (ITSM), o que importa é a eficiência, a fiabilidade e a economia. Isto significa que o Custo Total de Propriedade (TCO) é uma métrica fundamental. O TCO engloba as despesas holísticas associadas à propriedade, operação e manutenção de ativos de IT durante todo o seu ciclo de vida. Embora possa parecer um conceito simples, as suas implicações são profundas — influenciando os processos de tomada de decisão, a alocação de recursos e o planeamento estratégico a longo prazo nas organizações de IT.

Este blog irá explorar a razão pela qual o TCO da sua solução de ITSM é importante tanto para as plataformas de código aberto quanto para as plataformas pagas, e como cada uma delas impactará os seus negócios.

Decifrar o TCO

À primeira vista, o TCO pode parecer tão simples como somar o preço de compra e os custos de manutenção dos ativos de IT. No entanto, esta visão ignora as complexidades incorporadas na estrutura do TCO. Além das despesas de capital iniciais necessárias, existem custos ocultos (isto é, implementação, formação, apoio) que podem aumentar rapidamente. Estes custos acumulam-se frequentemente ao longo do tempo e podem compensar significativamente o investimento inicial, especialmente em ecossistemas de IT complexos.

É importante dedicar algum tempo a compreender o TCO dos seus produtos de ITSM porque isso conduz a:

  1. Tomada de Decisão Informada: O TCO permite que o gestores de IT tomem decisões informadas, fornecendo uma visão abrangente das implicações financeiras associadas a diferentes opções.

  2. Otimização de Recursos: Os líderes de IT podem identificar ineficiências, eliminar redundâncias e simplificar as operações para minimizar despesas gerais sem comprometer o desempenho ou a fiabilidade.

  3. Mitigação de Riscos: Através de uma análise cuidadosa, as organizações podem identificar riscos potenciais, como dependência de fornecedor, vulnerabilidades de segurança ou despesas de manutenção imprevistas. Ao abordar proativamente estes riscos, as iniciativas de ITSM podem garantir a continuidade dos negócios e mitigar as incertezas financeiras.

  4. Gestão do Ciclo de Vida: O TCO fornece uma estrutura para gerir eficazmente cada fase. Ao prever os custos ao longo da vida útil do ativo, as organizações podem alocar recursos estrategicamente, planear atualizações ou substituições e evitar despesas inesperadas.

  5. Conformidade com Acordos de Nível de Serviço (SLAs): A análise de TCO ajuda a alinhar os SLAs com as restrições orçamentárias e as realidades operacionais. Isto permite que as organizações negociem contratos, selecionem fornecedores e projetem estratégias de serviços que atendam aos objetivos de negócios e, ao mesmo tempo, minimizem os custos totais de propriedade.

Não Ignore: O que acontece se não prestar atenção ao TCO

A falta de atenção ao Custo Total de Propriedade (TCO) pode levar a uma série de consequências negativas para as empresas, afetando a sua saúde financeira, eficiência operacional e sustentabilidade a longo prazo. Seguem-se alguns resultados potenciais de desconsiderar o TCO:

  1. Excesso de Orçamento: Ignorar o TCO pode resultar em despesas inesperadas e excessos orçamentais. Sem um conhecimento abrangente dos custos totais associados aos investimentos tecnológicos, as empresas podem subestimar as implicações financeiras, conduzindo a dificuldades financeiras e a restrições de recursos.

  2. Baixo Retorno do Investimento (ROI): Negligenciar o TCO pode levar a decisões de investimento abaixo do ideal, resultando num baixo retorno do investimento (ROI). Quando os custos totais superam os benefícios derivados da utilização da tecnologia, as empresas podem não conseguir concretizar o valor previsto, prejudicando a sua capacidade de atingir objetivos estratégicos e produzir resultados comerciais tangíveis.

  3. Ineficiências Operacionais: As soluções de software ou hardware com alto TCO podem introduzir ineficiências operacionais, como o aumento do tempo de inatividade, redução da produtividade ou congestionamentos de desempenho. Sem a devida consideração dos custos contínuos de manutenção, suporte e atualização, as empresas podem ter dificuldades para manter o desempenho ideal do sistema, levando a interrupções nas operações e à insatisfação do cliente.

  4. Escalabilidade e Flexibilidade Limitadas: As soluções com elevado TCO podem carecer de escalabilidade e flexibilidade, restringindo a capacidade das empresas de se adaptarem às mudanças nas condições do mercado ou de escalarem as suas operações de forma eficaz. Sem a flexibilidade para aumentar ou diminuir os recursos conforme necessário, as organizações podem enfrentar desafios para satisfazer a procura crescente, aproveitar novas oportunidades ou responder a ameaças competitivas.

  5. Maior Exposição ao Risco: Ignorar o TCO pode expor as empresas a vários riscos, incluindo vulnerabilidades de segurança, problemas de conformidade e dependência de fornecedor. As soluções com alto TCO podem exigir investimentos significativos em medidas de segurança, esforços de conformidade regulatória ou estratégias de saída para mitigar riscos de forma eficaz. A não abordagem destes riscos pode resultar em violações de dados, penalidades legais ou interrupções na continuidade dos negócios.

  6. Oportunidades de Inovação Perdidas: As soluções com elevado TCO podem desviar recursos da inovação e de iniciativas estratégicas, limitando a capacidade das empresas de inovar e diferenciar-se no mercado. Ao priorizar a redução de custos em detrimento da criação de valor a longo prazo, as organizações correm o risco de ficar para trás da concorrência e perder oportunidades de crescimento e inovação.

Negligenciar o Custo Total de Propriedade (TCO) pode ter consequências de longo alcance para as empresas, afetando o seu desempenho financeiro, eficiência operacional, exposição ao risco, escalabilidade e capacidade de inovação. Ao ignorar os custos holísticos associados aos investimentos em tecnologia, as empresas podem ver-se confrontadas com excessos orçamentais, baixo ROI, desafios operacionais, maior exposição ao risco e oportunidades perdidas de crescimento e inovação. Prestar atenção ao TCO é essencial para tomar decisões informadas, otimizar a alocação de recursos e garantir o sucesso e a sustentabilidade do seu negócio a longo prazo. 

Porque é que um baixo TCO é importante?

Um baixo Custo Total de Propriedade (TCO) para software impacta diretamente a saúde financeira de uma organização, minimizando os gastos associados à aquisição, implantação, manutenção e suporte de software. Esta redução de custos decorre de fatores como arquitetura de software eficiente, processos de desenvolvimento simplificados e utilização otimizada de recursos. Em segundo lugar, um baixo TCO está muitas vezes associado a uma maior eficiência e desempenho do software. O software projetado com foco no TCO tende a apresentar melhor escalabilidade, fiabilidade e eficiência de recursos—resultando em requisitos de hardware reduzidos e menor sobrecarga operacional.

As soluções de software de baixo TCO também oferecem, normalmente, recursos de integração perfeita—permitindo a interoperabilidade com sistemas existentes e minimizando as complexidades de integração. Estas soluções de software são frequentemente projetadas com arquiteturas modulares e padrões abertos, facilitando a personalização, as atualizações e os upgrades para garantir sustentabilidade e adaptabilidade a longo prazo às necessidades de negócios em evolução. Priorizar um baixo TCO para software não só gera economias de custos significativas, mas também promove a agilidade técnica, a eficiência e a escalabilidade no ecossistema de IT, contribuindo, em última análise, para a resiliência tecnológica e a vantagem competitiva da organização.

TCO de Software de Código Aberto   

Ao considerar o Custo Total de Propriedade (TCO) associado ao software de código aberto (OSS), entram em jogo diversas considerações exclusivas, refletindo a natureza distinta do desenvolvimento, implantação e suporte do OSS.

Prós

Contras

  • Muita inovação e escolha de frameworks
  • Interfaces fáceis de utilizar
  • Desenvolvimento e apoio orientados para a comunidade
  • Sem taxas de licença iniciais

  • Falta de integração e interoperabilidade com outros sistemas
  • Necessidade de formação e desenvolvimento de competências dos trabalhadores
  • Abandono de projetos
  • Dependência de colaboradores individuais
  1. Custos de Licenciamento: Uma das principais vantagens do OSS são os seus custos de licenciamento normalmente baixos ou inexistentes. Ao contrário do software proprietário, que muitas vezes exige taxas de licença iniciais e pagamentos contínuos para atualizações ou suporte, o OSS está disponível gratuitamente para uso, modificação e redistribuição. Isto pode resultar em economias de custos significativas, especialmente para organizações com implantações distribuídas ou em larga escala.

Soluções populares de ITSM de código aberto: GitLab , osTicket e Tarian Service Desk

  1. Personalização e Flexibilidade: O software de código aberto oferece personalização e flexibilidade incomparáveis, permitindo que as organizações adaptem o software às suas necessidades e requisitos específicos. No entanto, embora esta flexibilidade possa levar a poupanças de custos ao eliminar a necessidade de soluções proprietárias dispendiosas, também introduz considerações adicionais, tais como custos de desenvolvimento, despesas gerais de manutenção e potenciais problemas de compatibilidade com atualizações ou extensões futuras.

  2. Suporte Comunitário Versus Suporte Pago: O OSS beneficia de comunidades vibrantes de desenvolvedores, colaboradores e utilizadores que fornecem suporte, documentação e assistência na resolução de problemas gratuitamente. Embora o suporte da comunidade possa ser inestimável para muitas organizações, especialmente as mais pequenas com orçamentos limitados, nem sempre cumpre os rigorosos acordos de nível de serviço (SLAs) ou os requisitos de suporte das grandes empresas. Nesses casos, as empresas podem optar por serviços de suporte pagos fornecidos por fornecedores comerciais ou organizações terceirizadas, que podem incorrer em custos adicionais, mas muitas vezes oferecem opções de suporte mais robustas.

  3. Integração e Interoperabilidade: Os ecossistemas de software de código aberto são diversos e expansivos, abrangendo uma ampla gama de projetos, estruturas e ferramentas. Embora esta diversidade promova a inovação e a escolha, também pode apresentar desafios em termos de integração e interoperabilidade. As empresas devem considerar os custos associados à integração de componentes OSS na sua infraestrutura existente, garantindo a compatibilidade com outros sistemas e gerindo as dependências de forma eficaz.

  4. Manutenção e Gestão do Ciclo de Vida: Como qualquer software, as soluções de código aberto exigem manutenção contínua, atualizações e gestão do ciclo de vida para garantir segurança, estabilidade e desempenho. Embora o OSS possa oferecer maior transparência e desenvolvimento orientado para a comunidade, as organizações devem alocar recursos para tarefas como a gestão de patches, o controlo de versões e as atualizações. As empresas também poderão ter de ter em conta potenciais riscos, como o abandono de projetos, a fragmentação da comunidade ou a dependência de contribuidores individuais.

  5. Formação e Desenvolvimento de Competências: A adoção de software de código aberto pode exigir um investimento em formação e desenvolvimento de competências para garantir que os funcionários possuam os conhecimentos necessários para usar, administrar e manter o software de forma eficaz. Embora o OSS muitas vezes possua interfaces fáceis de utilizar e documentação extensa, podem ser necessárias competências especializadas para tarefas como personalização de software, administração de sistema ou contribuições para o código.

Embora o software de código aberto possa oferecer vantagens atraentes em termos de custo, flexibilidade e inovação impulsionada para a comunidade, as organizações devem considerar cuidadosamente as considerações exclusivas de TCO associadas à adoção de OSS. Ao ponderar fatores como custos de licenciamento, requisitos de personalização, opções de suporte, desafios de integração, despesas gerais de manutenção e necessidades de desenvolvimento de competências, as empresas podem tomar decisões informadas que se alinham com as suas restrições orçamentais, requisitos técnicos e objetivos estratégicos.

O resultado final é o seguinte: A maioria das ferramentas de ITSM não foi desenvolvida para otimizar o TCO – foram criadas para serem rígidas. Portanto, a PRIMEIRA coisa que as organizações compradoras devem considerar ao adquirir uma ferramenta de ITSM é o TCO. Não perceber a gravidade disso é o erro número 1 que os compradores de ITSM cometem. E o resultado é que a maioria das organizações está a gastar demais.

Ao compreender o panorama financeiro completo dos investimentos em IT, as organizações podem otimizar as operações, mitigar riscos e alinhar as suas estratégias de IT com os objetivos empresariais globais. A adoção do TCO não só melhora a relação custo-eficácia, mas também promove a inovação e a resiliência num ambiente cada vez mais competitivo. À medida que as IT continuam a desempenhar um papel fundamental na promoção do sucesso organizacional, o TCO continua a ser uma pedra angular das práticas prudentes de ITSM, orientando as organizações para o crescimento sustentável e a transformação digital.

EasyVista

EasyVista is a global software provider of intelligent solutions for enterprise service management, remote support, and self-healing technologies. Leveraging the power of ITSM, Self-Help, AI, background systems management, and IT process automation, EasyVista makes it easy for companies to embrace a customer-focused, proactive, and predictive approach to their service and support delivery. Today, EasyVista helps over 3,000+ enterprises around the world to accelerate digital transformation, empowering leaders to improve employee productivity, reduce operating costs, and increase employee and customer satisfaction across financial services, healthcare, education, manufacturing, and other industries.